Ensaio da inconstância 

Hoje cedo acordei e senti falta do sossego

Olho para a frustração que corre por meu corpo

O paraíso não existe, abracei minha sombra

Vivo o emicidio de meus próprios ideais

.

A espera deu a luz a tristeza

Que se fez minha maior companheira

Hoje fujo de casa? Não, é um pulo no abismo

Hoje sou trovão. Sou claridão no céu, fogo no chão 

.

Quero testemunhar minha própria vitória

Histórias e Pringles de cebola fazem de mim o que sou

Pedágios são como pedaços do sol

.

Faço por nós, acima de tudo

Quero encher minha casa, que hoje está vazia

Sinto falta da pequena dose de espresso