De um cozinheiro para outro

Você já olhou para o futuro e se enxergou em outra pessoa?

Recentemente conheci um sujeito, vamos chama-lo de Santiago, que me apareceu em uma manhã qualquer dessas. Em poucos minutos de conversa, notei que eu e Santiago tínhamos muito em comum, apesar da grande diferença de idade, e de que ele se quer é brasileiro. Viajado, cozinheiro experiente, agradável, empenhado no serviço e mais uma série de qualidades que fizeram gostar do cara. Tudo certo, ele iria trabalhar conosco.

Hoje, descubro que a situação dele está complicadíssima, e que fora avistado pelas ruas da cidade, tentando vender uma cesta básica para que pudesse comprar o que comer. Irônico, não? Ainda mais vindo de um cozinheiro.

O fato é que a situação me corroeu por dentro, afinal passar fome num é brincadeira, ainda mais com a conjuntura que acabei de deixar clara. Parte de mim tem plena consciência de que se não me cuidar, posso acabar enfrentando o mesmo destino, na verdade qualquer um, porque o destino é como ‘O Mago’, implacável. Continuando, vou procurar o sujeito e oferecer ajuda, mesmo com os poucos recursos que tenho, afinal o certo é certo.

 

Escrito ao som de: DK Country – Aquatic Ambience. Pois é, to numa vibe de jogos nostálgicos

Link: https://youtu.be/LDvKwSVuUGA