Uma fábrica de biscoito Bauducco para o Lucas

(Isso é um post colab da I.)

Acredito que só existia uma publicação de autoria minha neste bloguineo que pertence ao L. Inclusive, L. Está em algum lugar no Pará e com certeza não sabe o quanto estou transbordando de orgulho de quem ele está se tornando.

Conheci L. há mais de dois anos e ele parecia um daqueles “engomadinhos topzeira” que eu tanto evitava me relacionar. Mas pfff, não era bem assim, ele tinha uma sensibilidade incrível de enxergar a dor dos outros e isso com o tempo cada vez mais foi aflorando.

Como feminista, não acho que homens mereçam biscoitos, mas L. é uma exceção, e como exceções são raras, para ele eu daria até uma fábrica de biscoitos (muito biscoitera mesmo). Ele consegue reconhecer seus erros e também evitar errar, e mais do que isso, tem uma consciência política incrível. Lembro dele falar: “me ensina sobre feminismo? Eu quero entender” “me fala sobre aquilo”, acontece que acabamos aprendendo juntos sobre muita coisa.

Sempre quis um namorado que eu pudesse me orgulhar, e isso não tem a ver com ter dinheiro, beleza, emprego de sucesso ou qualquer coisa matérial parecida. É sobre ter alguém que sabe se importar com o próximo e não ser um cuzão com ele. E eu finalmente tenho um namorado assim.

Não é seu aniversário e nem dia dos namorados, mas no meio desse caos todo que o mundo é, queria festejar a pessoa que você é. Tenho orgulho de você, L.

Anúncios